Lazer Dia-a-Dia Dia-a-Dia Dia-a-Dia

Escola

Clara tinha apenas 1 ano de idade quando comecei a busca por escolas pois aqui em São Paulo as filas de espera são longas nos colégios bem conceituados. Já tinha lido e conversado com muitas mães sobre experiências péssimas: crianças recusadas por ainda usarem fraldas, por não andarem, por serem autistas, etc.

Para a minha surpresa nunca passei por uma experiência ruim. Sempre cheguei falando logo todas as questões para ver qual seria a reação. Sei que toda escola é obrigada por lei a aceitar crianças especiais, mas na prática não é bem assim e toda mãe quer ter certeza que seu filho é querido e será bem cuidado no lugar escolhido.

Existem opções ótimas bem próximas à minha casa, mas quando fui conhecer o colégio atual dela fiquei encantada. Rampas, elevadores e um tratamento impecável. Conversei com todo mundo lá (até com as auxiliares nos banheiros)… eles já tinham experiência com outras crianças deficientes e sabiam exatamente quais eram as minhas preocupações: saí de lá decidida! A única questão é que ela só poderia ir para lá com 3 anos completos.

Com 2 anos de idade a Clara estava com a fala atrasada, frequentando fono e psicóloga. Precisava começar logo a ter contato com crianças diariamente pois sabia que isso ajudaria muito em todos os sentidos.

Das escolas pequenas que procurei no meu bairro nenhuma possuía qualquer tipo de acessibilidade, muito pelo contrário, são todas cheias de escada por todos os lados. Mas o mais importante: sempre fui bem recebida e todos pareciam estar dispostos a dar um “jeitinho” pra ela e assim aconteceu. A primeira escola da Clara não tinha nenhuma acessibilidade, mas tinha uma professora maravilhosa disposta a carregá-la até a lua se fosse preciso.1131

Ela às vezes ia com carrinho de bebê, às vezes ia com cadeira de rodas, passava muito tempo no chão assim como as outras crianças da mesma idade. A escola ficava a 5 minutos de casa e foi uma experiência ótima! Aprendeu a comer melhor, falar mais, cantar, dividir brinquedos, etc. Foi um primeiro ano maravilhoso, intenso e cheio de novidades. Aprendi a confiar em todos na escola e desde o início me senti muito tranquila.

A rotina de crianças com mielo é bem intensa nos primeiros anos de vida: fisioterapia, médicos, exames e cirurgias em alguns casos, mas quando as coisas estão encaminhadas e organizadas não existe nada melhor que a escola.

Desde o começo de 2016 Clara está na nova escola. E adora. Mas isso eu contarei em outro post.

4 comentários sobre “Escola

  1. Linda…fico feliz que minha filha possa ter participado um pouquinho da alegria desta princesa, tbm trabalho com pessoas portadoras de necessidades especiais e quem sabe se ainda eu estiver aqui kkkkk terei o maior prazer em fazer parte do aprendizado dela, será um enorme prazer…linda…Deus te abençoe.

Deixe um comentário